Rejeição fecha portas, mas abre a mente

Vai lá, me ajuda, dá um exemplo de situação dolorosa!

Eu poderia imaginar um tombo, injeção, limão no corte do dedo, uma bolada… hum, deixa pra lá…

Na verdade tava mesmo pensado em pé na bunda!

Oh, dorzinha “maledeta”!

Você tá pensando naquele que a namorada dá?

Pode ser, que tal levar em conta todos?

Mandado embora do time, espantado de casa, demitido da empresa, a fila segue…

Enquanto a fumaça gerada pelo efeito do atrito não se dissipar, a gente não vai enxergar nada, mas depois que as coisas ficam claras… nossa, como os sentimentos mudam!

Um fato não podemos negar: pé na bunda faz dar uns passos para frente. Dependendo da potência, muitos!

Alguns nos farão refletir e chegar à conclusão que merecíamos. Outros que realmente precisávamos. E nessa categoria, muitos serão uma benção que nos impedirão de definhar por falta de iniciativa e ajudarão a promover a acabativa.

Claro, sempre temos desculpas, algumas do tipo: não sentia que era a hora, sou um ignorante nesse assunto, e por ai vai…

Para complicar há uma regrinha que nos confunde a mente: “Não perca tempo com os despreparados e com quem não vale à pena”.

É verdade que as pessoas foram ensinadas que experiência é fundamental, mas vou contar um segredinho sobre a santa ignorância.

A ignorância associada à má vontade é desastre garantido, mas quando esta encontra a determinação, é impressionante seu efeito.

Você em relação a uma criança de cinco anos tem um conhecimento incomparável, concorda?

Ok, passe dias com ela e veja se consegue responder todas as perguntas que lhe faz, sem enrolação, corretamente!

Digo que se for atrás de todas as respostas, em pouco tempo verá que fará incríveis descobertas.

Ignorância e determinação são poderosos agentes de inovação, renovação e revolução. O bom senso e a segurança devem prevalecer para que não salte em um precipício apenas com um guarda-chuva, acreditando que é possível, porque o pinguim, inimigo do Batman, também o faz!

Cuidado com a fantasia, afinal ninguém aguenta um milésimo dos acidentes que o Coyote sofre caçando o Papa-Léguas.

É interessante e surpreendente, considerando a educação que recebemos, descobrir que a revolução não é encontrada nas respostas dos sábios, mas nas perguntas dos ignorantes.

O sábio não é sábio porque sabe tudo, mas porque sabe muito. Tudo é muito, mas muito não é tudo.

Caramba! Agora me enrolei, isso é um paradoxo ou um paradigma?

Pronto, ai está uma ponta da minha ignorância. Socorro, preciso de um sábio!

Algumas respostas não encontramos porque não refletimos; outras não nos sentimos confortáveis a dar, justamente porque refletimos.

Isso me leva a concluir que quem se acha o máximo, no mínimo é um tolo! Sei não, pensando agora, será que isso não foi o motivo do pé na bunda?

O que aprendi nesta vida como gestor e consultor é que todo conhecimento como solução é frágil.

Revirando a memória e a história, percebo que muitos que “já foram”, se foram! De alguns restaram vagas lembranças, da maioria o total esquecimento.

Na estrada da sabedoria há uma placa pouco lida pelos transeuntes: “A arrogância estraga a técnica, que estragada, estraga o homem!”

Quando um objetivo na sua vida não o faz feliz pare para avaliar.

Persistência é diferente de teimosia. Tentar vencer uma luta de boxe batendo o queixo no punho do oponente até que ele desista por causa da dor, ultrapassa a valentia e encontra a estupidez.

Por essa razão, não importa de onde venha, saiba que rejeição fecha portas, mas abre a mente.

Ivan Postigo
Diretor de Gestão Empresarial
Autor do livro: Por que não? Técnicas para estruturação de carreira na área de vendas
Free e-book: Prospecção de clientes e de oportunidades de negócios
Postigo Consultoria Comunicação e Gestão
Fones (11) 4526 1197 / (11) 9645 4652
www.postigoconsultoria.com.br
ivan@postigoconsultoria.com.br
Twitter: @ivanpostigo

Data: 12/7/2012 16:37:41

http://www.creio.com.br/2008/lideranca01.asp?noticia=748

Deixe um comentário