O velho moinho de vento.

image

Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva (João 7:38). Certo homem que cresceu numa fazenda conta sobre um velho e frágil moinho de vento que ficava ao lado do celeiro de sua família e bombeava água para o lugar. Ele era a única fonte de água em quilômetros de distância. Com vento forte, o moinho trabalhava bem, mas, com brisa leve, não girava. Era necessário virar manualmente o cata-vento até a hélice voltar-se diretamente para o vento. O moinho de vento só supria a fazenda de água quando estava adequadamente posicionado. Penso nessa história quando me encontro com pastores de pequenas igrejas em áreas remotas. Muitos se sentem isolados e sem apoio; são cuidadores com os quais ninguém parece importar-se. Como consequência, eles se fatigam e fazem grande esforço para levar a água que traz vida ao seu rebanho. Gosto de contar-lhes sobre o velho moinho e nossa necessidade de nos reposicionarmos diariamente — voltarmo-nos intencionalmente para o Senhor e Sua Palavra e beber profundamente dele, que é a fonte de água viva. O que é verdade para os pastores também é verdade para todos. O servir a Deus flui do interior para o exterior. Jesus disse: “Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (João 7:38). Quando Deus fala ao nosso íntimo, somos capazes de tocar as vidas de outras pessoas. Para refrigerar outros, voltemos regularmente à Fonte da vida. Quando você estiver cansado das lutas da vida, encontre forças no Senhor. David H. Roper